17 de nov de 2007

Um feriado para lembrar Zumbi

"Precisamos da história, mas não como precisam dela os ociosos
que passeiam no jardim das ciências"
. Nietzsche.

Um feriado tem o significado para o senso comum de um dia do não-trabalho, do ócio e do lazer. Para as religiões são dias santificados dedicados a uma prática ritual, cultos da imortalidade ou dos antepassados. Já, os feriados nacionais são dedicados aos heróis da pátria e se tornaram significativos nas sociedades contemporâneas para glorificar os heróis que representavam as classes dominantes, e nas sociedades colonizadas se seguiu esta prática como uma tradição. Uma boa referência no Brasil é o exemplo de Tiradentes que para os portugueses era um traidor e na República se tornou herói republicano por obra dos positivistas passando a representar um ideal nacional de independência.

Zumbi também foi um personagem real e se tornou um herói criado pelo movimento negro, isto é, por um movimento social, popular, político e cultural, que reinvidicou a memória dele que resistiu contra a escravidão no século VXII como o maior líder do quilombo dos Palmares.

Um feriado é um dia comemorativo em que se procura lembrar o passado através das datas memoráveis, dos personagens que fizeram diferença em suas épocas. É uma imagem do passado que ficou na história, mas que destaca sempre na atualidade este encontro com a nossa memória histórica e afetiva e que possui um significado ímpar na vida social das nações. A celebração de um feriado serve para fixar uma imagem do passado no presente. Uma reminiscência sempre projetada no presente para reavivar na nossa memória os laços históricos e os símbolos da nossa identidade. E não só isso, é uma celebração que projeta também o significado do ato excepcional para inspirar o nosso presente com pistas para a solução dos problemas que persistem, sobretudo, das iniquidades que a desigualdade social tenta perpetuar como o passado no presente e como coisa natural.

O feriado de 20 de novembro - Dia da Consciência Negra foi criado para lembrarmos de Zumbi dos Palmares, um dos líderes do quilombo que resistiu quase 100 anos no século XVII no atual município de União dos Palmares no estado de Alagoas no nordeste brasileiro. Esta iniciativa pioneira partiu do grupo Palmares do Rio Grande do Sul em 1971 durante a ditadura militar, seu mais destacado membro é o poeta e historiador Oliveira Silveira um dos criadores do grupo.

Click para saber mais sobre o movimento negro no Rio Grande do Sul*, sobre o poeta Oliveira Silveira* e também aqui*.

Um comentário:

Bernardo disse...

Ola

sou um corresponte espanhol no Rio. Estou entregando uma mat[eria sobre o dia da consciencia negra. Gostaria te enviar algumas perguntas por mail.
o meu e> bernardobrasil@gmail.com

Abrazo