25 de nov de 2007

Piauí

Dia Nacional da Consciência Negra será comemorado em Picos com várias atrações culturais

No 20 de novembro de 1695, morria Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares. A data da morte de Zumbi é lembrada como o dia Nacional da Consciência Negra. Os negros ajudaram na construção das riquezas do Brasil, mas apesar da contribuição não tem até o hoje o reconhecimento merecido por parte do sistema, que os colocou a margem da sociedade. Todavia, há mais de 400 anos, os escravos centrados no nordeste fugiam com destino aos quilombos, principalmente para o Quilombo de Palmares, numa região entre os estados do Pernambuco e Alagoas.

Em Picos entrevistamos alguns representantes do Movimento Negro local, a respeito da data de hoje 20, dia Nacional da Consciência Negra. Vilmar de Sousa B. Boy comentou que essa data serve para o Movimento Negro fazer uma reflexão sobre o seu papel contributivo na sociedade “Temos uma junção de culturas de origem africana. O nosso vocabulário está repleto de palavras bantas, iorubás etc, por exemplo, tanga é uma palavra banta” discorreu Vilmar de Sousa.

Francisco das Chagas Pereira, diretor do Grupo Cultural Admó falou da satisfação da comemoração da data.Ele ressaltou que o dia 20 de novembro serve para resgatar a ancestralidade do povo de origem africana e lembrar o líder negro Zumbi dos Palmares, ao fazer referencia aos ganhos relacionados às políticas públicas Chagas fez a seguinte lamentação:

“O que se tem de ganho hoje está na institucionalidade, no entanto, na praticidade as leis não estão sendo cumpridas, a exemplo da lei nº 10639/03 que trata dentre outras questões da implantação no currículo do ensino fundamental e médio da disciplina história da África e dos afro-brasileiros. Quanto o Estatuto da Igualdade Racial, o projeto está parada na Câmara dos Deputados. Se esse segmento da sociedade não fosse racista, a lei já teria sido aprovada” enfatizou Chagas. Zélia Pereira frisou que há luta dos negros por um lugar melhor no seio da sociedade começa a ser reconhecida, entretanto, admitiu que são poucos os avanços ao se tratar de políticas públicas.

Nenhum comentário: